• PT
  • EN

GT de TV 3.0 apresenta os benefícios da tecnologia HDR

Na tarde de sexta, 3 de julho, o Grupo de Trabalho de TV 3.0 da SET realizou webinar sobre HDR: Conceito e desafios na sua implantação.

A moderação ficou a cargo do coordenador do GT e Engenheiro de Projetos da RecordTV, Sérgio Santoro, e a apresentação foi de Luiz Fausto, coordenador do módulo técnico do Fórum SBTVD e especialista em Tecnologia e Regulatório da Globo.

Fausto focou no conceito da tecnologia High Dynamic Range (HDR) e sua aplicação no contexto da TV 2.5. A palavra High é a evolução do Standard Dynamic Range (SDR), enquanto Dynamic Range se refere à faixa de variação de luminância.

O limite do SDR está na perda de detalhes da imagem na captura da luminosidade e no contraste. O HDR surge para aumentar a qualidade da imagem e torná-la mais próxima possível da experiência humana. “A ideia é que os telespectadores explorem todo o range (alcance) dinâmico da sua visão dentro de uma determinada zona de conforto de adaptação”, afirmou Fausto.

O executivo apontou também os principais benefícios da tecnologia HDR. “As imagens ganham mais nitidez, tanto nas áreas mais escuras, quanto nas áreas mais claras, o que implica maior volume de cores e de detalhes. Dessa forma, o telespectador tem percepção maior de realismo, profundidade e imersão porque a imagem começa a corresponder com a experiência real”, afirmou.

Fausto também enfatizou “a perceptível diferença de qualidade, independente do tamanho da tela e da distância de observação, pois os pixels são melhores. Essa melhoria no vídeo custa menos aos radiodifusores tanto no ponto de vista da produção, quanto na distribuição”.

Distribuição

A distribuição de vídeos HDR é feita pela internet com as seguintes características: 1080p/2160p, HEVC (H.265) e 10 bits. Para realizar a distribuição pelo ar, foi necessário adotar tecnologias retrocompatíveis com o sinal aberto da TV Digital terrestre: 1080i, MPEG-4 AVC (H.264) e 8 bits.

“Entre os meses de abril e dezembro de 2019, o Fórum SBTVD realizou atividade para identificar tecnologias retrocompatíveis para introduzir o HDR na TV Digital. Depois foram feitos testes para garantir a qualidade superior ao SDR do ar”, afirmou.

Fausto informou que, após os testes, foram elaboradas normas técnicas submetidas à revisão da ABNT. A entidade então abriu consulta pública para a população manifestar suas críticas e sugestões às propostas. Em maio, a ABNT publicou as normas técnicas.

O Sistema Brasileiro de TV Digital atual (TV 2.5) suporta dois formatos HDR retrocompatíveis: o SL-HDR1 e o HLG. “O SL-HDR1 converte o HDR em SDR e em metadados dinâmicos. Os televisores compatíveis utilizam esses metadados para reconstruir quadro a quadro a imagem HDR, levando em consideração as características do display. A tecnologia HLG modifica a curva de gama para acomodar uma faixa dinâmica maior. Os televisores compatíveis identificam a função de transferência adequada a partir da sinalização ‘preferred transfer characteristics’”, explicou.

SET Webinars

O encontro do GT de TV 3.0 da SET faz parte da série SET Webinars, eventos institucionais promovidos pelos Grupos de Trabalho da entidade.

Conheça os Grupos de Trabalho da SET: clique aqui.

Se você faz parte da cadeia produtiva do mercado de tecnologia e negócios de mídia e entretenimento, associe-se à SET e faça parte de um de seus Grupos de Trabalho. Saiba como: clique aqui.

Associe-se e aproveite benefícios, convênios e conteúdo exclusivo, como os SET Webinars realizados em 2020: