• PT
  • EN

TV por assinatura recupera relevância em meio à pandemia

Na sexta, 5 de junho, aconteceu a oitava sessão do SET Tech Webinar. Em uma semana dedicada especialmente à TV, o assunto do encontro foi A relevância e os desafios da TV por assinatura em tempos de pandemia.

O moderador foi Oscar Simões, presidente executivo da Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA). Enquanto os palestrantes foram Alessandra Pontes (Discovery), Luis Otavio Marchezetti (SKY), Roberto Primo (Globo), Márcio Carvalho (Claro), Rafael Duzzi Oliveira e Douglas Fagotti, ambos da CNN Brasil.

Em sua introdução, Simões destacou que, ao abrir o sinal dos canais de jornalismo e de filmes para todos os assinantes, o setor realizou uma prestação de serviço à população logo no início do estado de isolamento social.

“O segmento de TV por assinatura foi um dos primeiros setores que tiveram atitudes efetivas. Nestes quase três meses, percebeu-se a robustez da infraestrutura para dar conta da demanda devido ao crescimento da audiência somado à relevância dos conteúdos, como programação infantil e informação. O jornalismo ganhou uma relevância extraordinária neste momento difícil que atravessamos”, iniciou.

Discovery

A vice-presidente de Distribuição da Discovery Networks Brasil, Alessandra Pontes, abriu as apresentações falando das estratégias adotadas pela empresa para entender o seu papel na pandemia em relação ao assinante e a sociedade como um todo.

“Teve um movimento conjunto dos operadores e programadores para a abertura do sinal dos canais, e assim, oferecer mais opção ao assinante. Para os não-assinantes, foi decidido abrir o aplicativo do Discovery Kids Plus. Então, enquanto os canais estavam disponíveis a todos os assinantes, o aplicativo ficou disponível para qualquer pessoa. A audiência da TV por assinatura cresceu 24% neste período”, afirmou.

A ideia de liberar o aplicativo com conteúdo infantil, segundo Pontes, foi a forma que a Discovery encontrou para colaborar com pais que passaram a acompanhar a rotina dos filhos em tempo integral.

“Nos últimos três meses, tivemos um milhão de downloads e, além do conteúdo de vídeo, o aplicativo tem livros e jogos. Um dos conteúdos produzidos para falar especificamente do coronavírus foi o livro Juntos combatemos o vírus, lido mais de 300 mil vezes”, pontuou.

Para Pontes, “a pandemia mostrou a importância e relevância da TV por Assinatura, como provedor de conteúdo de qualidade e inesgotável o volume de conteúdo.”

CNN Brasil

Os executivos da CNN Brasil, Rafael Duzzi Oliveira, diretor de Engenharia e Operações, e Douglas Fagotti, diretor de Programação, iniciaram suas participações contando como foi estrear o canal logo no início do estado de pandemia e de isolamento social.

“O momento atual foi de reflexão e foi bom para nós. Houve uma revolução e o cenário atual pontuou o quão importante a TV por Assinatura é e sempre foi por meio do seu conteúdo aos assinantes”, disse Oliveira.

Para Fagotti, “o jornalismo é uma arma importante de informação para que as pessoas entendam o que está acontecendo. Aliado ao cenário de pandemia, começou uma reviravolta na política e as pessoas percebem a necessidade de informação qualificadas para ter esclarecimentos sobre saúde e sobre o rumo que o país está tomando no momento de pandemia.”

Oliveira comentou que a evolução tecnológica da última década foi responsável por permitir a rápida adaptação da emissora em um curto espaço de tempo.

“O nosso mercado viveu uma evolução tecnológica muito grande na década passada. Isso permitiu que fizéssemos esse movimento em um curto espaço de tempo, dando agilidade para que as pessoas continuassem a produzir conteúdo e para que as empresas continuassem com seus negócios de pé”, concluiu.

Globo

Roberto Primo, diretor do Hub de Distribuição de Conteúdo da Globo, apresentou as operações da emissora durante a pandemia, como fortalecimento em cybersegurança e na atuação antipirataria, cadeia de produção e distribuição baseada em nuvem e acesso remoto, além de lives no entretenimento e no esporte e um aumento de 300% no uso do acervo.

Devido à pandemia, Primo ressaltou o aumento de 20% no consumo da TV Aberta ou TV Paga, comparando o mesmo período de 2019.

“No período pré-isolamento, o canal Globonews era o sétimo em audiência. Agora, no período de isolamento entre 16 de março e 26 de abril, o canal passou a ser o primeiro colocado. Houve um aumento de 106% na audiência, o que evidencia o ganho de relevância do jornalismo e da informação de qualidade”, destacou.

Para Primo, “a relevância da comunicação e inclusão digital foi renovada, tanto pela questão do trabalho quanto pela educação das crianças e jovens, que estão com aulas online. Por conta disso, existe uma necessidade de acelerar a inclusão digital das pessoas.”

SKY

O vice-presidente de Engenharia da SKY, Luis Otavio Marchezetti, ressaltou que a pandemia trouxe de volta a percepção de segurança para famílias com crianças em casa.

“As pessoas voltaram a perceber que a TV por assinatura é uma fonte segura de informação e de um entretenimento de qualidade. Quem tem filho pequeno em casa, sabe do risco de deixá-lo navegar em tablets e notebooks e acessar conteúdo impróprio. Quando você deixa seu filho em frente a um canal infantil, um canal educativo, você tem certeza de que alguém fez uma curadoria. Você tem certeza de que seu filho está seguro naquele ambiente”, pontuou

Marchezetti afirmou que “a curadoria foi valorizada pelos os clientes principalmente pela diversidade de opiniões. Então a relevância da TV por Assinatura cresceu neste momento de crise.”

O executivo da SKY finalizou sua apresentação apontando a pirataria continuou sendo um dos principais desafios em meio a pandemia.

“Da mesma forma que nossa audiência cresceu, acreditamos que a pirataria também. Então, estamos em contado com as empresas, como Google e Facebook para monitorar, juntamente com a ABTA, e conscientizar mais ainda a sociedade a ser contra a pirataria”, finalizou.

Claro

Márcio Carvalho, diretor de Marketing da Claro, foi o último a se apresentar e destacou a mentalidade da Claro ao entender a gravidade da situação.

“Quando entendemos o alcance da mudança que iríamos passar, tivemos a preocupação de conectar todo mundo com fontes confiáveis de informação. Combater fake News, desinformação e conscientizar a população”, afirmou.

Conforme o isolamento social começou, Carvalho falou que a estratégia foi deixar as pessoas informadas e entretidas.

“Durante quase 60 dias, abrir o sinal foi uma grande oportunidade para resgatar valor do conteúdo confiável e de qualidade da TV por assinatura. E depois que as pessoas estavam entretidas e informadas, veio o período de aprendizado e transformação, mudando a forma mas mantendo a essência do conteúdo”, encerrou.