• PT
  • EN

Grupo Globo inaugura 3 novos estúdios no Rio de Janeiro

Com os novos estúdios, o complexo passa a ser o maior de América Latina

Grupo inaugurou na zona Oeste do rio de Janeiro, o Modulo de Gravação 4, (MG4), com três novos estudos de 1500 m² cada um aumentando assim para 13 estúdios e passando de uma área de 8000 para 12500 m² a área de produção.

O MG4 foi construído pela BN Engenharia com uso de avançadas tecnologias construtivas, totalizando uma área de mais de 26 mil m², que se dividem nas áreas de estúdio, armazenagem, apoio e demais áreas anexas.  A BH afirma que o projeto foi ideado com diferentes soluções construtivas, utilizou-se de modelagem em BIM (Building Information Model) para assegurar a completa compatibilização dos projetos.

O prédio dos Estúdios foi concebido de forma a funcionar como grandes caixas, com sofisticado sistema de isolamento acústico e layout flexível. Construído com espessas paredes de concreto com o uso de formas trepantes, conta ainda com revestimentos de lã de rocha e painéis acústicos de madeira de reflorestamento, resistentes ao fogo. Observa-se também, um vão de 48m vencidos com estruturas metálicas, que suportam todo sistema de iluminação e passarelas técnicas, além de piso em concreto com carga admissível de até 5tf/m².

Na edificação de apoio, foram utilizados pilares de concreto com disposições com espaçamentos que permitam também a flexibilidade de usos dos espaços. O prédio possui três pavimentos, mezanino, áreas técnicas e cobertura metálica. Esta área se destina principalmente para o apoio dos profissionais envolvidos nas gravações, com camarins, recepção e outras áreas fundamentais à produção da emissora.

O empreendimento conta com sistemas redundantes de alimentação elétrica, ar condicionado e dados, de forma a garantir as gravações e transmissões ao vivo ainda que em situações adversas. Possui uma condição ímpar, englobando um elevado número de demandas técnicas que normalmente se encontram de forma pontual em outros projetos.

Tratam-se de diferentes tecnologias construtivas e variados usos dos prédios que determinam instalações muito distintas em cada área, com características específicas de execução. Somado ao curto prazo de construção, os desafios para execução se intensificam, dado que todas as frentes de trabalho atuam simultaneamente. Para tanto, a BN Engenharia conta com sua experiência de 40 anos no mercado da construção civil aliado às modernizações de gestão e soluções de engenharia para atingir os resultados esperados, superando as expectativas dos clientes.

Na inauguração, Roberto Irineu Marinho, presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo, disse que o Grupo não sabe “ao certo a configuração exata que a nossa indústria terá no futuro, mas sabemos que continuaremos a fazer parte dessa indústria e continuaremos a sonhar com esse futuro porque sabemos o que somos (…) a Globo de amanhã é sempre melhor que a Globo de ontem”, finalizou.

O diretor geral da BN Engenharia, João Antonio Mattei, destaca a relevância da obra para a BN Engenharia assim como para a Globo: “O MG4 é um marco para a nossa história construtiva por nos permitir demonstrar toda a nossa capacidade de execução de projetos de alta complexidade. Isso nos consolida como uma das maiores e construtoras do país atuando em diversos segmentos de mercado, tais como logístico, hospitalar, corporativo, residencial e outros de grande complexidade”.

Números

26 mil m² de área construída.

3 novos estúdios, de 1.500 m² cada um, totalizando 4.500 m² de área útil

26 mil m² de área construída.

4 mil m²  de área externa para gravação integrada

Portas acústicas de 8X6m

Detalhes da construção

A solução construtiva adotada no projeto é mista, explica a BH. No caso do prédio de apoio, “a concepção de projeto buscou considerar a menor quantidade de pilares possível para viabilizar maior flexibilidade de layout nos ambientes previstos no programa. São três pavimentos de arquitetura predominantemente horizontal, sendo o térreo, 1º e 2º pavimentos, além da cobertura. O prédio ainda possui mezanino, pavimento técnico e cobertura em estrutura metálica. As vedações externas são em alvenaria e as internas, em sua grande maioria, em drywall. A maior área de vão desse prédio fica na central de água gelada, localizada no 2º pavimento, com aproximadamente 24 metros”, explica BH em comunicado.

Já o prédio dos estúdios foi conceitualmente pensado para serem “grandes caixas” com o maior isolamento, eficiência acústica, segurança e flexibilidade de uso possíveis, disse mattei. “Eles são compostos por paredes, pilares e laje de cobertura de concreto armado, revestidos internamente com lã de rocha e painéis acústicos de madeira de reflorestamento aglomerada resistentes a fogo”, reforçou. Este prédio possui o maior vão-livre do projeto: 48 metros. As duas áreas de apoio entre os estúdios são divididas em três pavimentos (térreo, 1º e 2º pavimentos), seguindo o mesmo conceito do prédio de apoio: pilares e vigas em concreto armado e lajes do tipo nervurada unidimensional. As paredes de concreto dos estúdios foram executadas com formas trepantes de 4,5 metros de altura e uso de concreto auto-adensável.

O prédio da armazenagem foi concebido para ser um grande galpão e como tal o projeto foi pensado para permitir que os espaços pudessem ser adaptados de acordo com as demandas do cliente. Para tanto, foram considerados pilares de concreto pré-fabricado e vedações em blocos de concreto até o nível do 1º pavimento, complementados com brises metálicos até o nível da cobertura em todo o perímetro da edificação, que conferem um pé-direito livre de 10,50 metros, sendo que a cobertura em estrutura metálica treliçada garante vãos-livres de até 33 metros.  Internamente, o prédio possui duas áreas com ambientes operacionais, ambas desenvolvidas em dois pavimentos com estrutura metálica.

 Por Fernando Moura, em São Paulo