• PT
  • EN

Cisco Networking Academy lança versão aprimorada de seu programa de capacitação em redes

Nova grade curricular do CCNNA (Cisco Certified Network Associate) inclui segurança, virtualização e automação para preparar os alunos para as novas demandas do mercado de trabalho

O Cisco Networking Academy, programa global de educação e empregabilidade, lança hoje no Brasil uma nova versão de um de seus principais cursos, o Cisco Certified Network Associate (CCNA) 7.0. A grande curricular foi aprimorada para preparar os alunos com as habilidades necessárias para a nova rede e os empregos do futuro. A versão nacional traz o conteúdo completo em português.

“A rede está mudando rapidamente. Novas tecnologias, como machine learning e tecnologias de geolocalização estão impulsionando a inovação a velocidades nunca antes vistas”, afirma Laura Quintana, VP e gerente geral do Cisco Networking Academy. “Não é mais suficiente para os profissionais de TI serem qualificados em roteadores, switches e redes sem fio. Para se preparar para os trabalhos de hoje e de amanhã, os estudantes devem ter uma compreensão bem completa de segurança, virtualização, programação e automação”.

De acordo com o relatório global de tendências da rede da Cisco (Global Networking Trends Report), 63% dos líderes de TI planejam implantar soluções de rede avançadas, como redes baseadas em intenção e arquitetura de rede digital, para atender as necessidades comerciais nos próximos três anos. A escala e a complexidade dessas soluções exigem profissionais de TI com uma ampla variedade de habilidades, como segurança, automação, arquitetura empresarial e virtualização.

Destaques da nova grade curricular do CCNA 7.0:

Um caminho acelerado de preparação para o mercado de trabalho por meio de três cursos obrigatórios de 70 horas cada, que preparam os alunos para o exame de certificação CCNA. A grade curricular anterior do CCNA incluía quatro cursos de 70 horas cada.

O material vai além da rede para incluir programação, automação, virtualização e segurança. Projetada para ser altamente interativa, a grade curricular inclui 70 horas de laboratórios práticos, atividades com a ferramenta de simulação Packet Tracer da Cisco, vídeos e muito mais. O objetivo é ensinar os alunos a projetar, proteger, operar e solucionar problemas de redes empresariais; os principais conceitos em redes, virtualização e automação definidas por software; e como identificar e deter ameaças de segurança digital.

Melhoria significativa na usabilidade e na acessibilidade dos alunos. Com uma interface de usuário totalmente nova e responsiva, os alunos agora podem acessar os cursos a partir de qualquer dispositivo. Os aprimoramentos de acessibilidade disponibilizam melhorias para os leitores de tela, melhor acessibilidade do teclado e uma interface de usuário redesenhada.

O novo “distintivo digital” permitirá que os alunos exibam as credenciais no campo profissional, da maneira apropriada, além de validarem habilidades por meio de suas carreiras para colegas e potenciais empregadores.

As mudanças no currículo da Cisco Networking Academy CCNA comportam a evolução do programa de certificação profissional da Cisco para combinar o profissional de rede e o desenvolvedor de software em uma única comunidade e criar a equipe de TI do futuro, ajudando a aumentar a força de trabalho dos parceiros, clientes e empresas da Cisco em todo o mundo.

“O CCNA 7.0 nos posiciona bem para preparar os alunos do Brasil com as habilidades necessárias para aproveitar o poder da nova rede e impulsionar com sucesso a próxima onda de transformação digital”, afirma Gabriel Bello Barros, líder do Cisco Networking Academy no Brasil. “O currículo moderno do programa, as ferramentas de aprendizagem virtual e a rede de instrutores talentosos estão liderando o setor.”

Até o momento, mais de 359 mil estudantes participaram dos cursos do Cisco Networking Academy no país, graças às parcerias com mais de 500 academias em todo o território brasileiro. A expectativa é que estes números continuem a crescer, conforme novas disciplinas sejam incorporadas na grade curricular e o programa seja expandido, buscando atender um número maior de alunos.