• PT
  • EN

SET e Trinta Webinar Series: os caminhos para o OTT ser um produto de sucesso

A SET deu continuidade à sua série de webinars na tarde desta segunda-feira, 13 de abril.

Após abordar os temas TV 2.5 e satélites, o assunto desta semana é 2020: o ano da ascensão do OTT inteligente, dividido em duas partes.

Neste primeiro encontro da semana, Salustiano Fagundes, membro do Conselho Deliberativo da SET, foi o moderador. Os palestrantes convidados foram Fabio Souza (Synamedia-Latam), Jurandir Pitsch (SES), Chris Mueller (Bitmovin) e Nadine Kerfatz (Reality Software).

Souza apresentou as vantagens da utilização da automação e do machine learning para garantir uma experiência agradável ao usuário, devido à otimização do processo de entrega de vídeo:

Economizar largura de banda e armazenamento, sem sacrificar a qualidade de vídeo e da experiência;

 

Antecipar diferentes alterações na qualidade do vídeo entre dois canais semelhantes (transmissão esportiva);

 

Otimizar automaticamente a linha de canais de milhares de perfis ABR com o menor esforço operacional possível;

 

Garantir sempre o melhor equilíbrio entre economia de largura de banda e qualidade de imagem.

Pitsch foi o segundo a se apresentar e destacou as competências necessária para uma empresa distribuidora de conteúdo.

“Para entregar um sinal de vídeo de qualidade ao usuário final, é necessário agregar o conteúdo, processá-lo, criptografá-lo (segurança) para depois distribuí-lo”, afirmou.

O executivo da SES também apresentou dados sobre a Subscrição de Video On Demand S-VoD) no Brasil para os próximos cinco anos.

Créditos da Imagem: Apresentação Jurandir Pitsch

 

A segunda parte do webinar foi reservada aos palestrantes internacionais.

Mueller fez sua palestra primeiro e falou das tendências tecnológicas em vídeo. Ele destacou três para o ano de 2020:

Aumentar a satisfação dos clientes, superando as expectativas em relação à qualidade do vídeo;

 

Obter ativos, produtos e serviços para comercializar mais rapidamente e com mais eficiência;

 

Controlar custos, atenuar riscos e gerenciar melhor a complexidade da distribuição e produção.

Nadine Kerfatz encerrou o webinar explicando como tornar o produto OTT minimamente viável para a empresa interessada em lançar uma plataforma de streaming.

Para atingir tal objetivo, a empresária destacou a necessidade de conhecer o seu público.

‘Um dos termômetros”, segundo Kerfatz, “é usar as redes sociais para saber o que seu público gosta e quer consumir. Aliado a isso, é importante coletar dados sobre os hábitos de consumo na plataforma tais como o quê e por quanto tempo as pessoas consomem determinado conteúdo.

Para garantir a eficiência do streaming, Kerfatz recomenda utilizar serviços em nuvem, pois não diminuem algumas despesas operacionais e costumam ser customizados às necessidades da operação.

“Não existe uma fórmula correta. Por isso, é preciso testar e aprender o que melhor atende a sua demanda, observando os dados na exibição”, reforçou.