• PT
  • EN

5G movimenta mercado de telefonia móvel no Brasil

Apesar do Ministério das Comunicações (Minicom) ter anunciado que o leilão do 5G pode ficar para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus Covid-19, o mercado de telefonia móvel começou a antecipar as ofertas de produtos e serviços neste mês de julho.

No começo do mês, a Claro anunciou sua rede 5G em bairros do Rio de Janeiro e em São Paulo. A operadora vai utilizar o espectro em que já oferece serviços 4,5 G. Para conseguir oferecer a 5G sem espectro novo, a empresa vai recorrer à tecnologia de compartilhamento dinâmico de espectro, criada pela Ericsson, e que é capaz de fazer a gestão das frequências de forma automática, destinando parte da capacidade aos usuários que estiverem com aparelhos compatíveis, informou a Telesíntese.

Na sequência, a Tim também anunciou seu programa. Segundo a revista, a TIM vai se antecipar ao leilão de espectro da Anatel e ativar a tecnologia 5G em sua rede móvel em breve. Conforme o presidente da companhia no Brasil, Pietro Labriola, a empresa vai lançar em setembro o 5G em três cidades. As cidades são Bento Gonçalves (RS), Itajubá (MG) e Três Lagoas (MS). A operadora vai utilizar a técnica DSS (dynamic spectrum sharing) nas três cidades com os fornecedores Ericsson, Huawei e Nokia, que aproveita a agregação de frequências do espectro atual (4G) para chegar a velocidade do 5G. Além disso, vai usar a tecnologia FWA (Acesso sem Fio) para disponibilizar banda larga fixa em cima da rede móvel.

Por fim, ontem (15), foi a vez da Telefônica Vivo, fazer seu anúncio em um evento online. De acordo com a Telesíntese, o CEO da Telefônica Vivo, Christian Gebara, afirmou que a operadora pretende ativar redes 5G em “sete a oito capitais” até o final de julho. Segundo ele, a empresa quer experimentar com a rede. Serão usadas frequências baixas, para as quais a empresa já detém licença e são destinadas ao 4G.