• PT
  • EN

Futurecom 2019: Angola Cables e Malaysia Telekom global realizam testes finais em rota única para a Ásia

Projeto piloto tenta alavancar dois sistemas de cabos: o SAFE, que conecta a Malásia à Angola e o SACS que conecta a Angola ao Brasil

António Nunes, CEO Angola Cables/ Foto: Fernando Moura

Angola Cables apresentou no Futurecom 2019 que ser realiza em São Paulo detalhes sobre a parceria com a TM Global, braço da Malaysia Telekom Berhad, que contempla a implementação de um acordo de testes para uma rota expressa “Sul-Sul” de cabos submarinos vindos da Ásia conectando diretamente à África e à América do Sul.

Em entrevista à reportagem da Revista da SET, António Nunes, CEO da empresa, disse que a rota pode facilitar muito o trafego de sinais de vídeo entre o Brasil e África e quando o cabo submarino conecte com a Ásia pode ser uma solução rápida e com bom custo-benefício para os operadores. “Hoje temos latências baixas para as rotas de São Paulo e Fortaleza para Angola que vão dos 63 aos 106 milissegundos que podem ser uma excelente opção para trafego de vídeo”.

O projeto piloto – já em fase final – da uma rota expressa “Sul-Sul”, disse Nunes, pretende alavancar dois sistemas de cabos: o SAFE (The South Africa Far East Cable System) da TM Global, que conecta a Malásia à África do Sul e o SACS (South Atlantic Cable System) propriedade da Angola Cables, conectando Angola ao Brasil.

Os resultados preliminares do projeto piloto, explicou o executivo, apresentaram uma latência mais baixa quando comparada com as rotas usuais via hemisfério norte e virá a fornecer um caminho mais curto entre a Ásia e a América do Sul, proporcionando uma melhor experiência ao usuário final e uma melhoria significativa na qualidade do tráfego global de internet. A fase de teste em alguns casos já passa -39% de latência de transmissão.

Por Fernando Moura, em São Paulo